Como a eliminação do preconceito de gênero pode gerar confiança e criatividade

Como a eliminação do preconceito de gênero pode gerar confiança e criatividade

A criatividade não tem limites e é igualmente importante para o desenvolvimento de qualquer criança, em qualquer lugar do mundo, independentemente do seu gênero, habilidade ou origem.

Sabemos que há muito progresso sendo feito, mas ainda há uma série de preconceitos invisíveis que podem impedir as crianças de desenvolver e expressar sua criatividade plenamente.

Reconhecendo a importância do Dia Internacional da Menina, queríamos aprender mais sobre as possíveis restrições e preconceitos às brincadeiras criativas que as crianças podem enfrentar hoje em dia e o impacto que isso pode causar.

Fizemos uma parceria com o Geena Davis Institute on Gender in Media para encomendar uma nova pesquisa para saber como a criatividade é vista pelos pais e seus filhos e se ela difere para meninos e meninas. Fundado pela atriz vencedora do Oscar, o instituto é uma organização baseada em pesquisas que visa a criar equilíbrio e inclusão de gênero e reduzir estereótipos negativos na mídia de entretenimento familiar.

Então, o que nossa pesquisa mostrou?

Analisando os números em torno do brincar criativo

A boa notícia é que nossa pesquisa descobriu que as meninas de hoje se sentem cada vez mais confiantes para experimentar diferentes tipos de atividades criativas, mas também descobrimos que os estereótipos de gênero enraizados na sociedade têm capacidade de impedir as meninas de desenvolverem todo o seu potencial criativo.

74% dos meninos vs. 62% das meninas acreditam que algumas atividades são destinadas apenas para meninas, enquanto outras são destinadas a meninos

Embora ainda haja um longo caminho a percorrer, isso mostra que as meninas se sentem menos contidas por preconceitos comuns de gênero do que os meninos, e que as meninas se sentem mais confiantes e inspiradas para seguir qualquer profissão ou interesse. Por exemplo:

82% das meninas acreditam que não há problema em meninas jogarem futebol e meninos praticarem balé, em comparação com apenas 71% dos meninos

Isso parece sugerir que, geralmente, as meninas são mais abertas a vários tipos de brincadeiras criativas em comparação com o que a sociedade normalmente incentiva.

Embora as meninas tenham progredido ao afastar velhos preconceitos, vários tipos de brincadeiras ainda são fortemente julgados como sendo específicos de determinado gênero.

Os pais têm quase seis vezes mais probabilidade de pensar em cientistas e atletas como homens em vez de mulheres (85% vs. 15%) e são mais de oito vezes mais propensos a pensar em engenheiros como homens em vez de mulheres (89% vs. 11%)

Descobrimos que, normalmente, as filhas são incentivadas a participar de atividades que são mais cognitivas, artísticas e relacionadas à interpretação e à culinária, em comparação com os filhos que são mais propensos a serem incentivados a se envolver em atividades relacionadas à ciência, tecnologia, engenharia e matemática (conhecidas pelo termo inglês STEM). Isso inclui brincar com peças LEGO.

Os pais são quase quatro vezes mais propensos a incentivar os meninos do que as meninas a se envolverem em jogos de programação (80% vs. 20%) e esportes (76% vs. 24%) e há mais do dobro de probabilidade de fazerem o mesmo quando se trata de brinquedos de codificação (71% vs. 29%)

Acreditamos que a criatividade não deve ter limites e reconhecemos que ainda há trabalho a ser feito, e isso nos inclui.

Como o Grupo LEGO pode fazer sua parte

Queremos garantir que todas as garotas se sintam bem-vindas em nosso universo e estamos comprometidos em fazer tudo que pudermos para garantir que elas não percam os benefícios do brincar com LEGO devido às expectativas da sociedade.

“Os benefícios do brincar criativo, como o desenvolvimento de confiança, criatividade e habilidades de comunicação, são sentidos por todas as crianças”, diz Julia Goldin, Diretora de Marketing do Grupo LEGO. “E ainda vivemos estereótipos antigos que rotulam as atividades como sendo adequadas apenas para um gênero específico. No Grupo LEGO, sabemos que temos um papel a desempenhar para consertar isso.”

A nova série “Girls are Ready” do Grupo LEGO, parte da nossa campanha “Reconstruir O Mundo”, visa a mostrar ao mundo que as meninas estão prontas para o que der e vier. Para nos ajudar a mostrar isso, estamos apresentando projetos encabeçados por meninas empreendedoras de todo o mundo que já estão assumindo a liderança e reconstruindo o mundo por meio da criatividade.

Fátima, uma inventora de 18 anos dos Emirados Árabes Unidos, diz: “quando olho para minha irmã mais nova, vejo sua curiosidade e criatividade”.

Juntas, elas construíram um veículo espacial impressionante com peças LEGO que está sendo exibido no Centro Espacial Mohammed Bin Rashid.

Sammie conseguiu construir mais de 150 bancos da amizade ao coletar tampas de garrafas recicladas para ajudar a combater a solidão das crianças.

Temos também Chelsea, cuja missão é fornecer materiais de arte e artesanato para crianças como uma forma de se expressarem. Ela já doou mais de 13.000 kits de arte em mais de 30 estados e dois países diferentes.

“Esta campanha é uma das várias iniciativas que estamos implementando para garantir que faremos do brincar com LEGO algo mais inclusivo, para que todas as crianças possam alcançar seu verdadeiro potencial criativo”, continua Julia.

Para continuar a garantir que os produtos e marketing do Grupo LEGO sejam livres de preconceitos de gênero, estamos felizes em continuar nossa parceria com o Geena Davis Institute on Gender in Media.

“Acredito que a criatividade pode dar às pessoas energia e esperança”, diz Mahiru, uma jovem que toca em uma banda que usa o poder da música para espalhar alegria.

Ao promover o trabalho de outras pessoas ou ao examinar nossas próprias práticas, estamos totalmente comprometidos em tornar o brincar com LEGO mais inclusivo e garantir que as ambições criativas das crianças nunca sejam tolhidas.

Reconstruir O Mundo: Nenhuma Regra É Permitida